Textos e reflexões de Rodrigo Meireles

16.6.13

Vaias à política brasileira

O brasileiro vaia a política tal como ela se mostra
Na abertura da Copa das Confederações, a presidente Dilma Roussef foi vaiada no estádio. Mas, que vaias foram essas?

As vaias à Dilma pouco têm de pessoal contra ela. No meu entender, estas vaias representam a desilusão da política no Brasil. O povo vaia contra a política tal como ela se mostra em nosso país. Ou seja, poderiam ser outros os personagens no lugar da presidente naquele momento e estas seriam igualmente vaiados. Há quem diga que este fenômeno não seja exclusivo dos brasileiros, mas mundial. Ainda assim, quero agora pensar sobre o nosso contexto e refletir sobre esta vaia no nosso caso específico.

A desilusão dos brasileiros com a política é histórica. Não há um único personagem responsável por esta desilusão. O que vemos ao longo da história são pequenos sobressaltos de esperança, que logo se esvaem. Momentos como o fim da ditadura, a primeira eleição direta, a promulgação da Constituição Federal, o impeachment de Collor, a instituição do Plano real e a eleição de Lula. Nas últimas décadas, estes foram os momentos em que grande parte da população pôde acreditar que algo ia mudar. Todavia, passado algum tempo com a mudança ocorrida, novamente caía-se em desilusão, como acontece agora, por exemplo. Fosse quem fosse na presidência, a desilusão seria a mesma.

Apesar disso, é preciso destacar que, apesar dos sobressaltos, a democracia brasileira já apresentou muitos avanços se a compararmos com o que era a política brasileira no início e ao longo do século XX. Apesar das desilusões e da ingenuidade de muitos brasileiros quanto à política, é inegável perceber tais avanços, tanto à nível político-participativo, quanto à nível econômico e social. O Brasil ainda é um país em franca maturação, onde ainda persistem dois graves problemas, a corrupção e a desigualdade. Problemas estes que se perpetuam com o jeitinho brasileiro de ser. Afinal, corrupção e desigualdade também são problemas históricos e culturais, vividos não somente no âmbito da política partidária, mas nas entranhas da sociedade. Quem reclama da corrupção na Política deveria ser o primeiro a mudar de atitude; assim como quem acredita na necessidade de diminuir a desigualdade, deveria ser um defensor de programas ou políticas que proporcionem uma mudança do paradigma social de nosso país. Um país com as nossas proporções continentais, em curto ou médio prazos, não muda paradigma algum com a ação de alguns, mas com a constituição de programas regionais ou nacionais que abracem todo o seu território, o que permanece um desafio.
Vamos levantar de nosso berço esplêndido! Acorda, Brasil!
Diante deste quadro, é preciso continuar a amadurecer. O lema "Brasil, mostra a tua cara" hoje poderia ser dirigido aos brasileiros, para que os que ainda dormem acordem e saiam da ingenuidade política. É possível mudar o panorama da participação política no Brasil, no qual ainda são poucos os que participam, para uma realidade em que todos os cidadãos saibam discutir os dilemas locais e as mudanças que querem para o seu país.

O Brasil está mudando, mas ainda há muito por ser feito. Portanto, as manifestações devem continuar, apesar de ainda serem realizadas e regidas por uma minoria verdadeiramente consciente. Fica o desejo de que esta minoria atinja a maioria e ajude a nossa democracia no seu longo processo de amadurecimento.





2 comentários:

  1. Leidiane Oliveira Leidiane Oliveira as vais e forma de protesta contra a falta de respeito com o brasil com a humanidade, como alguém pode pedi respeito, tudo que esta cedo investido e da onde do bolço do trabalhado e do estudante, tudo que esta acontecendo e absurdo ...

    ResponderExcluir
  2. Tudo o que está acontecendo é absurdo, mas é sinal de mudanças e transformações. A juventude não pode parar de sonhar e buscar as mudanças. Assim como a política não pode estacionar no tempo e manter seu estilo fechado para sempre. Urgem mudanças para uma política mais participativa e menos monopolizada.

    ResponderExcluir